Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Desatres ambientais e Responsabilidade’

Peça publicitária da Igreja Católica – sem fins lucrativos, veiculada em tevês pelo mundo, reconverte católicos em uma semana nos EUA – YouTube – Blog ” In Nomine Patris, et Filii, et Spiritus Sancti”

Este vídeo, de 2009, é apresentado do seguinte modo no YouTube:  “Peça publicitária da Igreja Católica, veiculada em Tvs pelo mundo. (…) Categoria: Sem fins lucrativos/ativismo”.

Acredito que é válida a sua divulgação, já que na atualidade, há a publicização de vídeos também “non-profit”,  em circuito global, de temas favoráveis sobre as “vantagens” que  multinacionais,  a maioria poluidoras, oferecem a países com desemprego, ou, igualmente prejudiciais, de extração de madeira em países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento, e pela mesma razão. Em seus países de origem as campanhas da população influenciam as decisões parlamentares pela não-instalação de seus parques industriais, em seu próprio solo. Outro exemplo é o da “indústria” do aborto,  que através do ativismo pró-escolha (com representações na ONU), lutam por sua legalização em nível global. Têm também o suporte de “lobbies” nos Parlamentos, através de todos os tipos de  organizações não-governamentais (ONGs).  Em nome dos “direitos da mulher”, tentam persuadir a todos através de um “pacote” de idéias, teorias, pesquisas que têm como pano de fundo um novo conceito, o de “Gênero”. No entanto, há estudos que afirmam que a tese de “Gênero” é, na verdade, mais  uma ideologia que vem sendo apresentada e propagandeada, principalmente nas áreas de educação e cultura. Inclusive, é trazido à tona que órgão de fomento mundial, atrelam a liberação de empréstimos a partir da publicização das idéias que compões o conceito de “Gênero”.

Ainda sobre a legalização do aborto, entre outras teorias relativistas, fundadas em concepções ditas pós-modernas, há a tentativa de convencimento de que estes sistemas de idéias poderiam vir a substituir a cultura judaico-cristã.  O termo denominado “cultura” evidencia tanto uma racionalidade quanto uma subjetividade, que perdura há  dois mil anos, por ter em essência, valores desde sempre reconhecidos como universais.  Tal cultura, a judaico-cristã, firmou concepções sobre o que é um ser humano, uma pessoa, e seus direitos inalienáveis, sejam os de um não-nascido, uma criança, uma mulher ou um homem.

Em seu conjunto, devemos estar atentos para a tentativa atual de banimento do Cristianismo. Diante do “novíssimo” caldo cultural da pós-modernidade, a base conceitual da fé cristã está ultrapassada. Entretanto, vale lembrar, que desde a sua origem lançou as bases da constituição do que entendemos como “família”, aliás, vigentes sem contestação até o final do século XX. Estamos portanto diante de uma campanha mundial de instauração de uma “nova” bagagem  de ideias e teorias sobre o que crianças devem “aprender” e adultos devem tomar como “verdade” enquanto seres humanos.. Adolf Hitler, mentor do nazismo também buscava “relativizar” a importância da cultura religiosa monoteísta do Judaísmo e do Cristianismo. Tinha em mente uma nova era para a Humanidade… (LBN)

…….

Apresento o blog abaixo como fonte publicadora da peça publicitária “pró-Cristianismo”, que também pode ser encontrada no YouTube:

IN NOMINE PATRIS, ET FILII, ET SPIRITUS SANCTI (Blog)

In Nomine Patris, et Filii, et Spiritus Sanctii –  htp://paternoster10.blogspot.com/

_________________________________________________________________________________________

Read Full Post »

Fonte: Canto da Paz – Clarissas e Franciscanos

(fonte da imagem: http://www.stellaroid.co.cc)

Quaresma: Creio em Deus, Pai Criador

Campanha da Fraternidade 2011: Creio em Deus, Pai Criador

A Campanha da Fraternidade de 2011 (CF-2011) propõe uma questão de evidente atualidade: fraternidade e a vida no nosso Planeta. Nem é preciso argumentar muito para justificar a escolha desse tema pela CNBB: Já faz tempo que estudiosos estão alertando para o fenômeno do aquecimento global e suas consequências para o clima e para o equilíbrio ecológico.

As Conferências mundiais sobre o clima, que congregam as maiores autoridades científicas da área, deixam sempre mais evidente que o sistema produtivo da economia moderna e contemporânea desencadeia intervenções inadequadas do homem na natureza e se constitui numa ameaça real para o equilíbrio ecológico e até mesmo para o futuro da vida na terra. Em contraste com tais constatações, nas mesmas movimentadas Conferências sobre o clima, as principais autoridades políticas e econômicas do Planeta não conseguem chegar a um acordo sobre as medidas a serem adotadas para sanar o problema e prevenir os riscos. È difícil redimensionar o desenvolvimento econômico, quando a receita é renunciar a certo padrão de consumo dos recursos naturais, que equivale à depredação e depauperamento da natureza. Exigimos da natureza mais do que ela pode oferecer, sem comprometer a sua sustentabilidade.

A CF-2011 convida a encarar seriamente a responsabilidade humana em relação ao futuro da vida no planeta Terra, o “ninho da vida” no universo, a casa comum da grande e diversificada família humana. O Texto Base, que apresenta a proposta da CF, traz argumentos e reflexões sobre o fenômeno do aquecimento global e os motivos que deveriam levar todos a pensar sobre o que é possível fazer e o que não se deveria fazer, para evitar a deterioração do ambiente da vida na terra. Argumentos bíblicos e teológicos deveriam motivar os cristãos e todos os crentes em Deus a uma verdadeira conversão nos modos de viver e de se relacionar com a natureza, quando ficam comprometidas a qualidade da vida e a fraternidade na família humana. Todos são convidados a se envolverem na CF-2011.

Destaco dois motivos de fundo religioso, que deveriam ser levados em conta por todas as pessoas de fé no tocante à questão ecológica. Primeiramente, tratar bem a natureza e cuidar do pedaço do Planeta que ocupamos está implicado na nossa fé no Deus Criador. Professamos a fé no Deus, Criador do céu e da terra, não importa como, ou quando isso aconteceu. A ciência pode continuar a pesquisar sobre a origem do universo e da vida na terra e isso não contradiz a nossa fé no Deus Criador. O certo é que não fomos nós que demos origem a toda essa beleza e grandiosidade. Dizer que tudo isso surgiu por si mesmo é um grande absurdo.

Mas também aprendemos da nossa fé que Deus fez o homem à sua imagem e semelhança, confiando-lhe o cuidado do “jardim da vida”. Embora pequeninos entre as criaturas do grande universo, somos importantes e Deus nos trata com predileção especial. O poeta do Salmo tem consciência disso, quando exclama, admirando o céu numa noite estrelada: “Que é o homem, Senhor, para que dele te ocupes?! No entanto, Tu o fizeste pouco menor que um deus… Tu o colocaste à frente da obra de tuas mãos!” (cf Salmo8). Sim, Deus colocou o mundo à disposição do homem; não para que acabe com ele, e sim, para que dele viva e usufrua, mas também para que zele por ele, qual bom administrador. Cuidar bem da natureza é sinal de fé e de gratidão para com o Deus Criador. Avançar sobre a natureza com a vontade de possuir e dominar, é cair novamente na tentação de “ser deuses”, como Adão e Eva no paraíso (cf Gn 3). Quando o homem resolve assumir o lugar de Deus, desprezando seu desígnio, a desordem e o caos entram no mundo, com seus frutos de injustiça, violência e morte.

O outro motivo, relacionado com o primeiro, é de fundo ético e moral: Cuidar bem da Terra, nossa casa comum, é questão de responsabilidade e solidariedade. Os bens da criação foram colocados por Deus à disposição de todas as suas criaturas; descuidar da natureza, ou estragá-la, é falta de respeito e de justiça para com o próximo e para com as futuras gerações. Não somos os únicos a ocupar esta casa, nem seremos os últimos; e é moralmente correto pensar nos outros, quando nos relacionamos com a natureza. Não ficará bem deixar atrás de nós um paraíso depredado, o mundo cheio de lixo, as terras desertificadas, as águas contaminadas, o ar irrespirável, o equilíbrio ecológico comprometido… A CF-2011 é um convite a refletir, para formar uma consciência comum sobre nossa responsabilidade e para tomar decisões eficazes sobre os cuidados que a Terra merece. É nossa casa comum. E ainda será a casa dos que viverão depois de nós.

(fonte: http://www.cnbb.org.br  –  autor: Cardeal Odilo Pedro Scherer – Arcebispo de São Paulo)

Publicado em Canto da Paz.

Read Full Post »

Fonte: Agência Fides

17.01.2011

VATICANO – O Papa no Angelus recorda que também “o Filho de Deus era um refugiado”, e reza pelas populações atingidas pelas inundações na Austrália, Brasil, Filipinas e Sri Lanka

Cidade do Vaticano (Agência Fides) – No Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, celebrado no domingo, 16 de janeiro, o Papa Bento XVI convidou a refletir, em seu discurso antes da oração do Angelus, sobre a experiência de muitos homens e mulheres, e muitas famílias, que deixam seu país em busca de melhores condições de vida”. O Papa sublinhou que “esta migração é, às vezes voluntária, outras vezes, infelizmente, é forçada pela guerra ou perseguições e acontece muitas vezes em condições desumanas”. Recordando a experiência da Sagrada Família de Nazaré, Bento XVI sublinhou que “o Filho de Deus também foi um refugiado”, e que “a Igreja sempre vive dentro de si a experiência da migração. “Às vezes, infelizmente, os cristãos se sentem obrigados a deixar com sofrimento suas terras, empobrecendo assim os países onde seus antepassados viveram”. “Os movimento voluntários de cristãos, por diversos motivos, de uma cidade para outra, de um país para outro, de um continente para outro – continuou o pontífice – são uma oportunidade para aumentar o dinamismo da Palavra de Deus e fazem com que o testemunho da fé circule no Corpo Místico de Cristo atravessando os povos e culturas, e alcançando novas fronteiras, novos ambientes”. Citando, enfim, o tema da mensagem enviada para o Dia Mundial do Migrante, Bento XVI afirmou que “o objetivo da grande viagem da humanidade através dos séculos” é “formar uma única família, naturalmente com todas as diferenças que a enriquecem, mas sem barreiras, reconhecendo todos irmãos”. E citando a este propósito a “Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos”, que se realizará de 18 a 25 de janeiro, definindo “fundamental” o fato de que os cristãos ao em todo o mundo e, portanto, “diferentes por culturas e tradições, são uma só coisa, como deseja o Senhor “. Depois da oração mariana, o Papa expressou a alegria da Igreja pela beatificação do Venerável Papa João Paulo II, em 1° de maio – “Aqueles que o conheceram, aqueles que o estimaram e amaram, se alegram com a Igreja por este evento. Estamos felizes !”- e citou as vítimas das recentes catástrofes naturais: “Quero assegurar minha especial recordação na oração para as populações da Austrália, Brasil, Filipinas e Sri Lanka, atingidas recentemente por enchentes devastadoras. “O Senhor acolha as almas dos mortos, dê força às pessoas deslocadas e fortaleça os esforços daqueles que estão fazendo o possível para aliviar o sofrimento e privações”. (SL) (Agência Fides 17/1/2011)

* Links: O texto integral das palavras do Santo Padre no Angelus

Publicado em Agência Fides.

Read Full Post »

Fonte: Flos Carmeli

Mensagem do Santo Padre às Vitimas

O papa Bento XVI enviou, nesta sexta-feira, 14, uma mensagem de solidariedade às vítimas das chuvas na região serrana do Rio de Janeiro. Em telegrama assinado pelo secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcísio Bertone, o papa se diz “consternado com as trágicas consequências das fortes chuvas que atingiram a região serrana do Estado do Rio de Janeiro, particularmente Teresópolis, Petrópolis e Nova Friburgo”.

Bento XVI manifesta sua solidariedade espiritual ao querido povo fluminense, nessa hora difícil” e “recomenda as vítimas a Deus misericordioso e implora a assistência e consolação divina para os desalojados e quantos sofrem física e moralmente, enviando-lhes uma propiciadora bênção apostólica”. O telegrama foi enviado ao bispo de Petrópolis, dom Filippo Santoro.

Os números da maior tragédia climática do país não param de crescer. Os mortos já passam de 700 e são milhares de desabrigados e desalojados na região serrana do Rio.

A Igreja pede ajuda aos que sofrem.

Faça a sua doação:

Cáritas Arquidiocesana – Rio de Janeiro
Banco Bradesco
agência 0814-1
conta 48500-4.

Campanha “SOS Serra” – Diocese de Petrópolis
Banco Bradesco
Agência 4014
conta 11.4134-1

Campanha “SOS Nova Friburgo” – Diocese de Nova Friburgo
Banco Bradesco
Agencia 540
conta 114.000-0

Campanha “SOS Teresópolis – Donativos” – Prefeitura de Teresópolis
Banco do Brasil
agência 0741
conta é 110000-9

Publicado em Flos Carmeli,

Read Full Post »

Fonte/imagem/reportagem: AFP – 15.12.2010 – “Comissão para reconstrução do Haiti aprova US$ 430 milhões em projetos” – Comissão Interina para a Reconstrução do Haiti

______________________________________________________________________________________________

Fonte: Agência Fides

13.12.2010

AMÉRICA/HAITI – Violências e cólera: a “situação é dramática; ajudem-nos, aqui precisamos de tudo”

Porto Príncipe (Agência Fides) – “A situação na ilha piora sempre mais, estamos já com 2.100 mortos e fala-se de 400 mil contágios e 200 mil mortos caso a epidemia não for detida”: estas são as últimas notícias comunicadas por padre Antonio Menegòn, Camiliano, Responsável pela Missão Camiliana no Haiti, à Agência Fides (veja Fides 26/11/2010). “A situação é dramática também por causa da violência que domina o país depois das eleições; tudo está fechado e parado – afirma pe. Menegòn. O porto e o aeroporto estão fechados, há poucos voos. Devido às violências, os Estados Unidos e o Canadá fecharam suas embaixadas. As lojas estão sendo saqueadas. Não conseguimos nos abastecer de medicamentos e gasolina porque está tudo fechado”. O missionário Camiliano prossegue: “nosso hospital continua a acolher os doentes de cólera. Alguns morreram, outros se curaram. Durante um velório em que não se sabia que a causa da morte era a cólera, morreram 25 membros de uma família. Com outros hospitais, estamos tentando deter esta emergência, mas é tudo muito complicado. A Província Camiliana de Turim está enviando éter, antibióticos e outros medicamentos para combater a cólera. Os problemas são muitos e a situação está cada vez mais grave”.

Padre Crescenzo Mazzell. “A situação é dramática – diz padre Crescenzo – ajudem-nos, precisam de tudo, e também que Deus dirija seu olhar ao Haiti”. De Jeremie, outro Camiliano, padre Massimo, informa que já há 500 mortes certas, mas certamente são o duplo, porque todo o país está infectado. Também na casa dos religiosos há doentes e mortos. No hospital público, há milhares de pessoas abandonadas e contagiadas.

(AM/AP) (13/12/2010 Agência Fides)

Read Full Post »

Fonte: Imagem/Reportagem – Jovem Pan Online

Após temporais, ajuda começa a chegar à Guatemala

País foi o mais devastado da América Central pela tempestade tropical Agatha

___________________________________________________________________________________________________

Fonte: Agência Fides

28.09.2010

AMÉRICAOnda de mau-tempo provoca 5 mortes e destrói 2 mil tendas no Haiti e deixa milhares de desabrigados na Guatemala, dois países já abalados por desastres naturais

Porto Príncipe (Agência Fides) – As fortes e imprevistas chuvas torrenciais do último fim de semana destruíram milhares de tendas em diversos acampamentos que abrigam vítimas do terremoto de 12 de janeiro, no Haiti. As autoridades locais confirmaram que cinco pessoas morreram por causa do mau-tempo e se contam cerca de cinquenta feridos graves na área da capital e nas periferias. “Lembramos que mais de um milhão de desabrigados do terremoto ainda vivem em acampamentos improvisados, que ao invés de se reduzirem, aumentam” – disse à Agência Fides o Núncio apostólico, Dom Auza, há poucos dias (veja Fides 21/09/2010).
A Coordenadora técnica da Proteção Civil, Nadia Lochard, disse em uma coletiva de imprensa que além dos mortos e feridos, 2 mil tendas estão destruídas. As chuvas causaram inúmeros danos não apenas em Porto Príncipe, mas em outras regiões vizinhas, como Thomazeau, Ghantier, Fond Verettes, Gressier e nas áreas de Petit Goave e Iles Cayimites, no sul. Infelizmente, estes são ainda números provisórios e o balanço pode se agravar na conclusão na avaliação realizada pela Defesa Civil e da Cruz Vermelha. As conseqüências da tempestade agravaram-se pela fragilidade dos acampamentos construídos depois do terremoto e pelos fortes ventos, de velocidade de até 95 Km/h, que abateram árvores e derrubaram postes de luz. O Centro Meteorológico Nacional (CNM) informou que um forte temporal, imprevisto, durou cerca de 30 minutos, proveio da vizinha República Dominicana e deixou diversos danos. Infelizmente, estão previstos novos temporais para hoje, 28 de setembro. Outros países da América Central também sofreram a onda de mau-tempo. A Caritas Guatemala enviou um relatório detalhado à Agência Fides sobre a situação de hoje, depois do fim de semana em que se abateram as chuvas: 5.433 pessoas ficaram desabrigadas; 933 sem casa; 176 vivem em acampamentos emergenciais; 13 regiões foram atingidas; Petén, Izabal e Alta Verapaz registram os maiores prejuízos. Em Petén há 3.327 desabrigados, em Izabal 2.106 e em Alta Verapaz, uma centena de pessoas foram evacuadas de 46 casas por causa do alagamento de um rio que atravessa o bairro de Belen. Na área da diocese de Zacapa, o relatório assinala que: 132 habitações estão interditadas; 561 habitações possuem danos menores; 760 famílias (3.800 pessoas) estão desabrigadas; 5 morreram. O serviço elétrico está completamente destruído, assim como o fornecimento de água potável. Faltam gêneros alimentares, água potável, roupas e sapatos. Os dados sobre os prejuízos na diocese foram enviados pelo diretor operativo da diocese de Zacapa. Nos primeiros dias de setembro, as chuvas já haviam atingido duramente as regiões de Escuintla, Suchitepéquez e Retalhuleu, na Guatemala (veja Fides 7/09/2010; 18/9/2010).(CE) (Agência Fides, 28/09/2010)

Read Full Post »

Fonte/imagem: Jornal Missão Jovem – Pime

Texto:  História da Igreja – As Missões no Extremo Oriente

__________________________________________________________________________________________________

Fonte: Agência FIDES

02.09.2010

VATICANOMensagem do Papa: “Diante dos homens e mulheres da Ásia se abrem amplos horizontes de missão em seus esforços de testemunhar a verdade do Evangelho”

Cidade do Vaticano – (Agência Fides) – “O número sempre mais elevado de leigos engajados, preparados e entusiasmados é um sinal de imensa esperança para o futuro da Igreja na Ásia” – afirma o Santo Padre Bento XVI em sua Mensagem enviada ao Congresso dos leigos católicos da Ásia, em andamento, em Seul, na Coréia do Sul, de 31 de agosto a 5 de setembro, promovido pelo Pontifício Conselho para os Leigos sobre o tema “Proclamar Jesus Cristo na Ásia hoje”.

O Papa recorda que a Ásia, onde habitam dois terços da população mundial, “está passando por processos de crescimento econômico e de transformação social sem precedentes, neste contexto, os católicos são chamados a serem sinal e promessa da unidade e da comunhão, comunhão com Deus e com os homens, da qual toda a família humana deve desfrutar”. A eles é confiada a grande missão “de testemunhar Jesus Cristo, o Salvador universal da humanidade. Este é o serviço supremo, o maior dom que a Igreja pode oferecer ao povo asiático”.
Para realizar esta missão, os leigos “devem se tornar mais conscientes da graça batismal e de sua dignidade como filhos e filhas de Deus”, prossegue a mensagem enviada ao Presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, Cardeal Stanislaw Rylko, observando que “em união de mente e coração com os seus pastores, e acompanhados a cada passo de sua viagem de fé por uma adequada formação espiritual e catequética, devem ser incentivados a colaborar de forma ativa, não só na construção de suas comunidades cristãs locais, mas também na criação de novas maneiras de anunciar o Evangelho em todos os setores da sociedade. Diante dos homens e mulheres da Ásia se abrem agora amplos horizontes de missão em seus esforços de testemunhar a verdade do Evangelho”. Neste ponto, o Papa cita o exemplo oferecido pelo amor conjugal e da vida familiar segundo os princípios cristãos, a defesa da vida, a preocupação com os pobres e oprimidos, a disponibilidade de perdoar os inimigos e perseguidores, o exemplo de justiça, verdade e solidariedade no local de trabalho e na vida pública. Bento XVI agradeceu “o trabalho excepcional de muitos catequistas que transmitem as riquezas da fé católica tanto aos jovens e quanto aos idosos”, lembra a contribuição para a formação do laicato por parte de movimentos apostólicos e carismáticos, as atividades das associações e movimentos eclesiais dedicados à promoção da dignidade humana e da justiça. “Com muitas comunidades e indivíduos envolvidos na oração e nas obras caritativas, e contribuindo nos conselhos pastorais e paróquias – afirma o Papa – estes grupos desempenham um importante papel nas Igrejas particulares da Ásia a ser edificada no amor e na fé, reforçada na comunhão com a Igreja Universal e renovada no zelo pela difusão do Evangelho”.

No final da mensagem, Bento XVI promete rezar a fim de que o Congresso “evidencie a função indispensável dos leigos na missão da Igreja e desenvolva iniciativas e programas específicos para ajudá-los em sua tarefa de anunciar Jesus Cristo na Ásia hoje”. (SL) (Agência Fides 2/09/2010)

_______________________

ASSUNTO RELACIONADO

Fonte: Agência FIDES

03.09.2010

ÁSIA/PAQUISTÃO – Águas desviadas: os protestos da sociedade civil

Islamabad (Agência Fides) – A sociedade civil, a política, os meios de comunicação no Paquistão estão levantando a voz contra o fenômeno das “águas desviadas” que causou sofrimento e deslocamento de milhões de pobres. Como a Fides denunciou nos últimos dias, durante as inundações, alguns proprietários de terra, para salvar suas terras,  construíram barragens e desviaram as águas para as áreas onde se localizavam os povoados e terras de pequenos agricultores e camponeses pobres, muitas vezes pertencentes às minorias religiosas cristãs e hindus.

Raza Haroon, Ministro da Tecnologia da Informação, na província de Sindh, fez um apelo em favor da formação de uma Comissão jurídica, para constatar as responsabilidades do desvio das águas, pedindo que seja incluído os juízes da Suprema Corte do Paquistão. Conforme relatado à Agência Fides, a Comissão para os Direitos Humanos do Paquistão e outras ONGs, de diversas proveniências, cristas e muçulmanas, pediram ao governo a investigação da Suprema Corte.

“Essas águas desviadas, em detrimento dos pobres, é um fenômeno que causou grande perplexidade e indignação na opinião pública. Os grandes proprietários pensaram em salvar suas terras, construção estruturas de canalização, sem se interessarem pelas conseqüências. Eles são pessoas ricas, influentes e também diretamente no Parlamento. Pensam que podem agir sem perturbações”, explica numa conversa com a Agência Fides, Mehdi Hasan, jornalista e acadêmico, Presidente da Comissão para os Direitos Humanos do Paquistão (HRCP), ONG que trabalha pelo defesa dos direitos humanos. “Nós pedimos ao governo um protesto oficial a este abuso contra esses abusos que interessam pelo menos 2 milhões de pessoas em Sindh e Punjab. Juntamente com a lentidão das ajudas é um dos motivos que aumentam nessas horas, a raiva das pessoas deslocadas”, denunciada pela Cruz Vermelha Internacional. “Pedimos ao governo e ao poder judicial para investigar e apurar os responsáveis. E se for verificado que estão envolvidos membros do Parlamento, de iniciar contra eles um procedimento de censura e ressarcimento de danos” – acrescenta.

A Comissão confirma as discriminações nas ajudas em detrimento das minorias religiosas: “Também por isso, expressamos nossa grande desilusão. O problema ocorre quando as ajudas passam por meio de associações caritativas de matriz islâmica fundamentalista”, explica. “A primeira é uma questão política: os senhores feudais do Paquistão gozam de fortes apoios e influências de alto nível. O segundo problema é de caráter social e cultural: É urgente rever o sistema educacional do Paquistão e a formação das jovens gerações sob a bandeira dos valores da laicidade, da democracia, respeito, liberdade religiosa”.

Ayud Sajid, católico, é diretor da ONG paquistanesa “Organização para o Desenvolvimento e a Paz” (ODP), não confessional, mas guiada pelo dominicano Pe. Raphael Mehnga. A ODP é empenhada no trabalho humanitário em 5 distritos do sul do Punjab, entre as mais afetadas pelas enchentes. “Na área de Muzaffargarh – disse à Fides – existiam também comunidades cristãs e hindus, afetadas pelas inundações desviadas. Aconteceu especialmente em Sindh, mas também em partes do Punjab. Especialmente os pequenos agricultores vão precisar de ajuda para recuperar pelo menos o grão a ser plantado para a safra do próximo Outono. Caso contrário será fome”. “O governo deve assumir a responsabilidade por essas pessoas: numa declaração conjunta, assinada por várias ONGs também solicitamos a intervenção do judiciário”. (PA) (Agência Fides 3/9/2010)

*Grifo meu.

Read Full Post »

Older Posts »