“Maria nos ampara no nosso caminho rumo ao Natal, porque nos ensina como viver este tempo de Advento à espera do Senhor. ” – Solenidade da Imaculada Conceição – Papa Francisco no Angelus (Rádio Vaticano – 08.12.2013)

Neste segundo domingo do Advento, temos pela frente um tempo de graça – a celebração da entrada do Menino Jesus no mundo dos homens. No entanto, o que vemos à nossa volta, em todas as partes do mundo ocidental, é o esquecimento do significado verdadeiro do Natal. O mê de dezembro tem sido dedicado a compras de presentes, em ritmo cada vez mais intenso e acelerado. Na verdade, sempre foi e será a lição de amor incondicional de Jesus Cristo pela Humanidade, que, ao vir na forma humana, é fonte de redenção de homens e mulheres que O acolhem no coração.

Tal como se dá na parábola do joio que se mistura ao trigo, este acontecimento, a passos largos, tem perdido na vida do mundo, a maior parte de sua verdadeira proposta. O que ouvimos e vemos na cultura ocidental (que tem por base o Cristianismo), principalmente, através da veiculação de anúncios publicitários, muito pouco  –  ou,  quase nada –  lembra-nos que Jesus nasceu há dois mil anos, segundo o plano do Criador, de uma mulher, concebida sem o pecado original – Maria Imaculada. Isto se deu na história humana,  para que fôssemos resgatados de uma vida vazia e sem sentido.

Obviamente, tal cultura, que, aliás, nega o melhor de nossa humanidade,  apenas reforça a sempre presente e pretensa auto-suficiência humana. Portanto, esta decisão deliberada afirma o materialismo como perspectiva de vida, e através de mil faces, dá pleno curso à rebeldia contra o plano da Criação – enfim, contra a própria noção de Deus. Esta linha de raciocínio, em nosso tempo, na base, trava um combate aberto contra a ideia de transcendência – de que uma alma nos anima e que depende de um Absoluto. O resultado ao longo das últimas décadas é o aumento sempre maior do consumo. Objetos têm valido extraordinariamente mais que pessoas…

Entretanto, ainda que seja assim na atualidade, vivamos segundo a nossa liberdade interior o espírito do Advento, o verdadeiro espírito do Natal, que é a vinda de Jesus  como criança ao mundo! Isto se traduz em solidariedade, amor, o ano todo, para com os desamparados e frágeis.

Um abençoado Natal a todos!

(LBN)

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Maria_Imaculada_Advento

Imagem: J. Simon Aranka – Hungria.

…………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2013/12/08/angelus:_com_maria,_aprendamos_a_ser_mais_humildes_e_corajosos_em/bra-753882

do site da Rádio Vaticano

Angelus: Com Maria, aprendamos a ser mais humildes e

corajosos em seguir a Palavra de Deus

Cidade do Vaticano (RV) – Milhares de fiéis e peregrinos lotaram a Praça S. Pedro e ruas adjacentes, este domingo, para rezar o Angelus com o Papa Francisco.

Ao introduzir a oração mariana, o Pontífice recordou que este segundo domingo do Advento cai no dia da festa da Imaculada Conceição.

Maria nos ampara no nosso caminho rumo ao Natal, porque nos ensina como viver este tempo de Advento à espera do Senhor. Porque este tempo é uma espera do Senhor, que nos visitará a todos na festa, mas também, a cada um de nós, no nosso coração. Esperemos por Ele!

Não obstante Maria fosse uma jovem de um vilarejo da Galileia, Nazaré, na periferia do império romano e de Israel, o Senhor pousou sobre ela o seu olhar. Em vista desta maternidade, Maria foi preservada do pecado original, isto é, daquela fratura na comunhão com Deus, com os outros e com a criação, que fere em profundidade todo ser humano.

Esta fratura, explicou o Pontífice, foi sanada anteriormente na Mãe Daquele que veio nos libertar da escravidão do pecado. E Nossa Senhora jamais se afastou daquele amor: toda a sua vida, todo o seu ser é um “sim” a Deus.

Como narra Lucas em seu Evangelho, quando o Anjo a chama “cheia de graça”, Maria fica intrigada, porque na sua humildade se sentia uma nulidade diante de Deus. Este anúncio a perturbou ainda mais, porque ela ainda não era casada com José. Maria ouve, obedece interiormente e responde: “Eu sou a serva do Senhor: faça-se em mim segundo a tua palavra”.

O mistério desta jovem de Nazaré que está no coração de Deus, não nos é estranho. Não é ela lá e nós, aqui. Não, estamos ligados. De fato, Deus pousa o seu olhar de amor sobre cada homem e cada mulher! Com nome e sobrenome. O seu olhar de amor está sobre cada um de nós. Também nós, desde sempre, fomos escolhidos por Deus para viver uma vida santa, livre do pecado. É um projeto de amor que Deus renova toda vez que nós nos aproximamos Dele, especialmente nos Sacramentos.

O Papa então pede que nesta festa, contemplando a nossa Mãe Imaculada, reconheçamos também o nosso destino mais verdadeiro, a nossa vocação mais profunda: sermos amados e transformados pelo amor e pela beleza de Deus.

Olhemos para ela, e deixemo-nos guiar por ela; para aprender a sermos mais humildes, e também mais corajosos em seguir a Palavra de Deus; para acolher o terno abraço do seu Filho Jesus, uma abraço que nos dá vida, esperança e paz.

Para um comentário sobre as palavras de Francisco pronunciadas no Angelus sobre a Solenidade da Imaculada Conceição de Maria, ouça o Pe. Cesar Augusto dos Santos: RealAudioMP3
(BF)

Autor: Lúcia Barden Nunes - Blog "Castelo Interior - Moradas"

Assinatura no blog: Lúcia Barden Nunes. Católica (Igreja Católica Apostólica Romana). Jornalista (Reg.Prof. MTb/RS 7.142- Lúcia Aparecida Nunes). Estado Civil: Casada (com Arturo Fatturi). Local de nascimento: Rio Grande do Sul. Data: 1960. País: Brasil.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: