SANTA CATARINA DE SENA, Virgem, Doutora e co-Protetora da Europa (29 de Abril)

FONTE: http:/ocdsprovinciasaojose.blogspot.com/2009/04/liturgia-29-de-abril-santa-catarina-de.html

santa-catarina-de-sena

Memória de Santa Catarina de Sena, virgem e Doutora da Igreja e co-Protetora da Europa (29 de Abril)

Terciária dominicana, e inflamada por um constante diálogo com seu esposo místico, teve uma irradiação maternal sobre seus discípulos, que se beneficiaram de sua doutrina, e exerceu influência decisiva junto ao papa em favor da unidade da Igreja. Santa Catarina nasceu em Sena, no dia 25 de março de 1347.

Na Europa, a peste negra e as guerras semeavam o pânico e a morte. A Igreja sofria por suas divisões internas e pela existência de “antipapas” (chegaram a existir três papas, simultaneamente). Desejando seguir o caminho da perfeição, aos 15 anos, Catarina ingressou na Ordem Terceira de São Domingos. Viveu um amor apaixonado e apaixonante por Deus e pelo próximo. Lutou ardorosamente pela restauração da paz política e pela harmonia entre os seus concidadãos. Contribuiu para a solução da crise religiosa provocada pelos antipapas, fazendo com que Gregório XI voltasse a Roma.

Embora analfabeta, ditava as suas cartas endereçadas aos papas, aos reis e líderes, como também ao povo humilde. Foi, enfim, uma mulher empenhada social e politicamente e exerceu grande influência religiosa na Igreja de seu tempo. As suas atitudes não deixaram de causar perplexidade nos seus contemporâneos. Adiantou-se séculos aos padrões de sua época, quando a participação da mulher na Igreja era quase nula ou inexistente. Deixou-nos o “Diálogo sobre a Divina Providência”, uma exposição clara das suas idéias teológicas e da sua mística, o que coloca Santa Catarina de Sena entre os Doutores da Igreja. Morreu aos 33 anos de idade, no dia 29 de abril de 1380.

“Doze estrelas para chegar à suma perfeição: amor de Deus,amor ao próximo, obediência, castidade, pobreza, assistência ao coro, penitência, humildade, mortificação, oração, silêncio, paz.” São João da Cruz – D154

“Com efeito, não é possível saber se amamos a Deus (embora haja grandes indícios para entender que o amamos); já o amor ao próximo pode ser comprovado. E convencei-vos; quanto mais praticardes este último, tanto mais estareis praticando o amor a Deus. Isso porque é tão grande o amor que Deus nos tem que, para recompensar aquele que demonstramos pelo próximo, faz crescer por mil maneiras o amor que temos por ele. Disso não posso duvidar.” Santa Teresa de Jesus–M 5,3.8

LITURGIA (29 de abril):

Leituras: At 8,1b-8 – Sl 65(66) – Jo 6,35-40

Esta é a vontade de meu Pai: toda pessoa que vê o Filho e nele crê terá a vida eterna.”

Somente essa fé verdadeira, genuína, pregada por Cristo, é capaz de dar um novo significado a toda a nossa vida.

Postado no Blog da OCDS, da Ordem Carmelita Descalça Secular, em 28.04.2009.

****

Considerei interessante ampliar nosso conhecimento sobre os termos “ordem terciária” e “ordens ou institutos seculares”. A propósito, conforme nos informa o post do Blog da OCDS, Santa Catarina de Sena era uma leiga consagrada, ou seja, fez parte de uma Ordem Terceira (ou Terciária) reconhecida pela Igreja Católica, no caso a Ordem Terceira Dominicana.Um pouco mais abaixo, há um link que relaciona siglas, nomes latinos e portugueses de ordens e congregações religiosas católicas e seus significados.

“Ordem Terciária: As Ordens Terceiras são associações de leigos católicos, vinculadas às tradicionais ordens religiosas medievais, em particular às dos franciscanos, carmelitas e dominicanos. Reúnem-se em torno à devoção de seu santo padroeiro. Espalharam-se pela América através dos colonizadores e foram um elemento importante na vida social da América portuguesa e espanhola.”

Pesquisa do termo: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ordem_terceira

“Institutos Seculares: Os Institutos Seculares são associações comunitárias de leigos católicos que vivem um tipo de vida consagrada, professando votos evangélicos de pobreza, castidade e obediência e cultivando uma intensa vida de oração.

Sua atuação é no mundo secular, em todas as atividades humanas, e a sua missão é colaborar na santificação do mundo de acordo com os valores evangélicos e cristãos. Isto quer dizer que eles não cultivam um modo de vida enclausurado ou fechado, ao contrário da maior parte das ordens religiosas.

Esta forma de consagração foi aprovada pela Igreja Católica em 1947, através da Constituição Apostólica “Provida Mater Ecclesia“.”

Pesquisa do termo: http://pt.wikipedia.org/wiki/Instituto_secular

Pesquisa (Wikipédia): “Siglas, nomes latinos e portugueses de ordens e congregações religiosas católicas

É uso corrente na Igreja Católica apor a sigla da ordem ou congregação religiosa logo após o nome do religioso ou da religiosa. Estas letras são, em geral, as iniciais da designação latina da organização.” (Ver siglas em http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_ordens_e_congrega%C3%A7%C3%B5es_religiosas_cat%C3%B3licas)

……………..

Autor: Lúcia Barden Nunes - Blog "Castelo Interior - Moradas"

Assinatura no blog: Lúcia Barden Nunes. Católica (Igreja Católica Apostólica Romana). Jornalista (Reg.Prof. MTb/RS 7.142- Lúcia Aparecida Nunes). Estado Civil: Casada (com Arturo Fatturi). Local de nascimento: Rio Grande do Sul. Data: 1960. País: Brasil.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: