Santa Teresinha de Jesus e da Sagrada Face – Memória e festa – 1° de outubro (Editorial – “A Arte da Luta, a Arte da Fuga”: Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus – Ordem dos Carmelitas Descalços-OCD)

teresinha_paroquiamonteserrat

Gostei muito das ideias transmitidas no editorial abaixo, publicado no site da Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus, no bairro Higienópolis, São Paulo. Fala do combate espiritual que travam os que querem ser fiéis a Deus. O trecho a seguir sintetiza o seu conteúdo: “No bom combate da vida humana não estamos sozinhos, temos um general: O Senhor dos Exércitos, o nosso Deus, que combate conosco. Ele está no meio de nós!”. A propósito, este editorial nos informa sobre a surpreendente “saída estratégica” de Santa Terezinha diante de um assunto desagradável. Ela se encontra à frente da madre superiora, ao lado de uma de suas irmãs de convento, que não a poupa de ouvir um longo discurso sobre seu comportamento. Nada além de uma queixa banal, infundada, mas irritante.  É simplesmente genial a fundamentação que Santa Teresinha dá à sua decisão de recuar… Por alguns dias vou refletir (percebi que tenho temperamento parecido…) sobre como vou aplicar à minha vida este ensinamento da jovem Santa de Lisieux. Ela era avessa a demonstrações de sabedoria, mas como dizem, pensava com “sua própria cabeça”… Demonstra estar ciente de que travava um combate espiritual. Como sabemos, recebeu da Igreja o título de “Doutora da Igreja”. Paradoxalmente, desfazia de si mesma, ou seja, de sua capacidade de compreender escritos teológicos aprofundados, que considerava sábios. Preferia a Bíblia. Por certo, não se referia a Santo Agostinho, São Jerônimo ou São Tomás de Aquino. Em bibliotecas de universidades confessionais há obras que não falam de elementos universais da Fé, e sim sobre a visão de mundo do teólogo. Aliás, em geral, sobre sua visão ideológica… Foi o que constatei in loco, entre as estantes… A simplicidade dá clareza a raciocínios complexos. Percebo isto no Papa Bento XVI. (Lúcia Barden Nunes)

Fonte/imagem: Paróquia Nossa Sra. Monte Serrate.

__________________________________________________________________________________________________________________________

Fonte:  PARÓQUIA STA. TERESINHA DO MENINO JESUS (Ordem dos Carmelitas Descalços-OCD-)

Editorial

A Arte da Luta,

a Arte da Fuga

O cristão atravessa a vida combatendo o bom combate. A luta é árdua, pois o homem é fraco e os inimigos são muitos. São João da Cruz, na sua linguagem medieval, aponta três inimigos da alma: a carne, o mundo e o demônio. Na linguagem atual, diríamos que a carne é o nosso eu, com a sua tendência natural ao orgulho e ao egoísmo. O mundo, diríamos, são os contravalores, ou falta de valores, da sociedade que nos rodeia. E o demônio, é aquele que estimula (tentação) a infeliz união das duas coisas: a carne e o mundo, ou seja, o nosso eu orgulhoso e egoísta é continuamente influenciado e alimentado pelos falsos valores da cultura atual. E vice-versa.

No Evangelho, Jesus nos ensina, com teoria e prática, a arte da guerra espiritual. As armas e as estratégias são: amar o inimigo, dar a outra face aos que nos batem, perdoar setenta vezes sete, renunciar a si mesmo, arrancar o olho se for preciso, cortar a mão se for preciso, enfim, fazer o bem sempre e a todas as pessoas que cruzarem o nosso caminho. Resumindo: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”, ordenou Jesus. O único modo de vencer ou diminuir o mal é fazer o bem! No bom combate da vida humana não estamos sozinhos, temos um general: O Senhor dos Exércitos, o nosso Deus, que combate conosco. Ele está no meio de nós! Sob a orientação do Espírito de Deus avançamos no caminho da vida e, apesar dos medos e das fraquezas, temos a certeza da vitória, pois nós cremos e nos apoiamos na força do amor do Pai. No entanto, faz parte da estratégia da guerra recuar, aliás, no combate espiritual, temos, em algumas ocasiões, até mesmo de fugir. Santa Teresinha nos dá um exemplo da arte da fuga. Escreveu ela sobre um pequeno, mas desagradável, desentendimento que teve com uma irmã do mosteiro: “A pobre irmã a quem eu resistira, começou a desfiar um verdadeiro discurso, cujo fundo era o seguinte: foi a Irmã Teresa do Menino Jesus quem fez barulho… Meu Deus, como ela é enjoada… etc. Eu, sendo de opinião totalmente contrária, tinha muita vontade de defender-me. Felizmente, ocorreu-me uma ideia luminosa. Pensei comigo que, se começasse a justificar-me, não conservaria a paz de minha alma. Sentia também que não tinha virtude suficiente para me deixar acusar sem reagir. Minha última tábua de salvação foi a fuga. Dito e feito. Afastei-me toda caladinha, deixando a irmã continuar seu discurso [para a Madre superiora], que parecia as imprecações de Camilo contra Roma. Meu coração batia tão forte que não me foi possível ir longe e sentei-me na escada para saborear em paz os frutos de minha vitória. Não foi nenhuma bravura, não é verdade, querida Madre? Creio, porém, ser melhor não se expor ao combate, quando a derrota é certa” (MC, 15).

Assim, na guerra espiritual, tanto a luta quanto a fuga, se motivadas pela busca do bem maior, têm um sabor especial de vitória, independentemente do resultado, pois nos aproximam do amor de Deus. Daí Santa Teresinha ter provado, na aparente derrota, a grandeza da graça de Deus.

(EDITORIAL)

Postado por  PARÓQUIA STA. TERESINHA DO MENINO JESUS (Ordem dos Carmelitas Descalços-OCD).

Autor: Lúcia Barden Nunes - Blog "Castelo Interior - Moradas"

Assinatura no blog: Lúcia Barden Nunes. Católica (Igreja Católica Apostólica Romana). Jornalista (Reg.Prof. MTb/RS 7.142- Lúcia Aparecida Nunes). Estado Civil: Casada (com Arturo Fatturi). Local de nascimento: Rio Grande do Sul. Data: 1960. País: Brasil.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: