Feeds:
Posts
Comentários

Archive for dezembro \20\-03:00 2008

A todos visitantes gostaria de dizer o quanto me sinto bem por voltar a “conversar” virtualmente com vocês. Após este intervalo um tanto longo para mim, me recupero de duas manifestações de dor de cabeça intensa, do tipo “aparece, desaparece e volta”, por dias…. Atrapalhou bastante, mas graças a Deus, medicada, o quadro está passando. Por conta de alguns eventos estressantes, inevitáveis, somente tive condições de acessar o blog. A cefaléia se transformou em enxaqueca, que impediu-me de escrever. Vocês já devem ter vivido isto no ambiente de trabalho. Como jornalista, tive esta “traumática” experiência. A dor de cabeça é, em especial, um drama para quem escreve. O motivo é óbvio: exige elaboração mental. Para não perder o emprego a gente comprova, “a fórceps”, que podemos fazer quase o impossível…

Então, após este intervalo forçado convém lembrar que a proposta do blog “Castelo Interior” não é falar de qualquer assunto, e sim, de alguns que se interconectam, ainda que isto não seja evidente, na maior parte dos acontecimentos que se dão no mundo e em nossas vidas.

Posso lhes afirmar, e continuo depois: o melhor de nossas vidas se dá quando conseguimos sair do “rés do chão” da vida agitada atual, e vislumbramos aqui e ali a transcendência contida em eventos que, aparentemente são comuns, normais. Deus nos livre dessa prisão do mundo, profana porque humana. Não há juízo de valor aqui: é nossa natureza vivermos de acordo com os sentidos de nossos corpos como leigos, mas isto não exclui a busca por transcendência. Entendo que a sugestão de São Paulo (Carta aos Coríntios) para que os discípulos se dedicassem exclusivamente à vida consagrada, e por conseqüência se mantivessem celibatários, faz com que, homens e mulheres consagrados lembrem ao mundo profano que este é passageiro…

Sempre vivi como leiga o caráter transcendente de minha existência. Por esta razão, pela excelência da tarefa, acredito que as pessoas que se consagram ao serviço religioso devem ocupar com firmeza sua posição, ou seja, devem ter orgulho de sua opção. Ainda que não pareça, a vida espiritual de milhares e milhões de cristãos pode ficar à deriva, ou ao contrário, ganhar em aprofundamento. A propósito, conforme consta na biografia de São Tomás de Aquino, Doutor da Igreja (chamavam-no “Doutor Angélico”), pouco antes de se dirigir aos alunos do seminário, entrava para o oratório e fechava porta. Lá dentro, segundo testemunhos, se ouvia o seu pranto convulso, em meio à oração. Pedia que Deus o guiasse no ensino de Teologia e Filosofia. Sentia-se esmagado pelo peso da responsabilidade, já que era formador das almas de futuros pregadores. Lembremos que estamos falando de um gênio, reconhecido como tal até nossos dias. É estudado nas universidades não-confessionais.

Tive o desafio e privilégio de ler sua obra “Tratado da Lei”, que no Brasil ainda não foi traduzido do espanhol para o português. É um dos autores requisitados nas universidades federais para os concorrentes que disputam uma vaga no mestrado em Filosofia Política. Fui reprovada na entrevista, quando da apresentação de meu projeto de pesquisa, já aprovado. Me faltou desenvoltura filosófica. Simples assim. Reconheci minha limitação (enfim, inadequação) para explanar temas filosóficos, em seus vários desdobramentos. Da experiência, ficou meu encanto pelos ensinamentos “hiper-lógicos” de São Tomás de Aquino sobre o amor de Deus pelas suas criaturas…

Visão superficial e Espiritualidade

Desse modo, a internet, e por excelência, nas redes de televisão voltadas à espiritualidade cristã, em especial, a católica, há praticamente toda uma visão de mundo a ser aprofundado – o da fé, no sentido das conexões. Midiaticamente falando, o mundo do lucro é ávido pela “exploração”, e de qualquer coisa… Nós, leigos, que fomos (no mínimo) batizados na Igreja Católica, precisamos de aprofundamento. Assim, nos meios de comunicação e fora deles, necessitamos da ousadia dos consagrados e consagradas; ou seja, que nos façam avançar nas questões da Fé. Por certo, deixaremos de lado o que denominam fé infantil… Entendo nesse sentido que, ao buscarmos compreender com o nosso coração e com a nossa mente o profundo significado das pregações, das palavras de Jesus Cristo, estaremos, de fato, cumprindo a vontade Dele. Queria que fôssemos como as crianças, ou seja, elas, naturalmente, são descomplicadas e confiantes. Creio que no Reino de Deus não há lugar para almas presunçosas, portanto, razão e piedade (o “coração” das coisas), de acordo com o legado das Escrituras Sagradas, devem conduzir nossa existência.

CRISTIANISMO…

Fonte: Imagem Wikimedia Commons

506px-the_visit_of_the_wise-menTenho visto decorações natalinas nas avenidas e ruas compostas unicamente de estrelas em neon, que formam pequenas “constelações”, além de “papais-noéis(?)” enormes, de plástico injetado, dourados e coloridos, bem como as caixas que lembram presentes. Em suma: Jesus Cristo não foi convidado para a Sua própria festa… Correção: no dia 25, como de regra, estão “programadas” várias Missas de Natal. Não adianta: a Missa é acessória, talvez, infelizmente, para a maioria.

Para mim, é um escândalo esta euforia no período de Natal: há décadas estão em duelo a visão religiosa e a comercial, mas o comércio da data está levando vantagem… É desconcertante ver por mais 10 dias ou mais, de pontos em pontos, o “bom velhinho”, etc. como o “salvador”… É quase uma profanação. Ou quem sabe estou equivocada: o paganismo já dominou o mundo, e não quero aceitar esta realidade, por ser, nesse sentido, ingênua, até mesmo pia? Que Deus nos perdoe por tanta superficialidade, materialismo e indiferença diante do que nunca deixará de ser Sagrado. Ele não voltará de helicóptero… Vai “estragar” a festa… Jesus Cristo veio a este mundo pérfido na forma de uma criança, ficou adulto, morreu e ressuscitou. “(…) Tudo passa”, tal como Santa Teresa de Jesus afirma em uma de suas poesias, uma oração confortadora. Rogai por nós. Amém.

Read Full Post »